A indiferença do mar, das pedras e das estrelas nos acompanha por toda a vida. Somos vítimas do descaso cósmico que atesta nossa solidão inescapável, nosso vôo solo, do parto ao pó. Grão de areia piegas nas profundezas abissais, responsáveis por cada irresponsabilidade própria de nossa comédia privada. Personagens cartas-marcadas da mitologia universal, fadados a performar um enredo repetido - sem esmorecer.

Um comentário:

Cris Chevriet disse...

gosto do que vc escreve, não suma!!! Muito bom esse texto da mitologia. Quando vamos repetir o jantar, chamar as meninas! beijos!