A história que ainda não li

Porque a vida estivesse pálida, porque a vida estivesse boa porém tristonha e levemente resfriada, entrou em um Café e pediu um espresso.
Ao que o atendente retrucou específico:
- Curto?
- Longo.
- Açucar?
- Amargo.
- Com creme?
- Não...mas pode botar um pouco de mitologia.

Silêncio.

- Fica mais interessante.

Pegou o Metrô. Alfândega, Senhor dos Passos, Buenos Aires. Fim de tarde. Entrou. Escolheu a mesa perto do balcão. Água fresca gasosa, café forte misturado ao sabor do cardomono.
Cremoso é o sonho. No fundo do copo, o oráculo.

- Quer mais?
- Depois. Agora, lê pra mim...
- Um poema?
- Não. A minha vida desenhada na louça.
- A borra?
- É. Um destino. O que me espera.
- Não sei se posso, é coisa séria.
- Lê,inventa, adivinha.

...porque a vida estivesse trêmula e distante no entanto sempre faminta, um tanto quanto tensa, mas de olhos brilhantes

...era deste modo, como a cumprir um destino desprovido de culpas, e sem lamentações, que se entenderam

...enquanto anoitecia uma noite clara,
porque a vida afinal de contas não passava de uma história inventada de verdade com o gosto aromático e muito pessoal do café.

5 comentários:

Izabela disse...

Adorei! Como sempre adoro...

Izabela disse...

Convite: http://fantasistaealdrabona.blogspot.com/

Flores Online disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Flores Online, I hope you enjoy. The address is http://flores-on-line.blogspot.com. A hug.

Chica disse...

Humm... se em todo cafézinho que eu tomasse,soubesse um pouquinho do futuro.

Belo post! obrigada pela visita.

um beijo

virgínia vicamf além mar disse...

escrita com ritmo leveza e profundidade poética...no fundo da xícara um sorriso maroto, mais um ?
abraços